Parabéns ao melhor!

Parabéns ao melhor!

Nunca o vi jogar. Quem perdeu fui eu, dizem-me. Mas sei sobre ele o que me disseram e o que li nas muitas homenagens e elogios que lhe foram feitos ao longo dos anos. Assim como sobre a sua etapa enquanto treinador muitos já escreveram, elogiaram, comentaram.

Eu... eu tinha 11 anos quando o conheci. Sabia quem era, desde sempre tinha ouvido falar sobre aquele fenómeno dos rinques e das transmissões radiofónicas. E a sua chegada à Aldeia foi um dos momentos mais importantes, pela sua competência e pela expectativa que criou, e depois confirmou.

Recordo apenas algumas das suas conquistas quando, já depois de o ter conhecido, como Seleccionador Nacional conquistou os Europeus 1992 e 1994 ou o Mundial de 1993 em Itália que me fez gritar, roer as peles dos dedos até chegar à unha e pular, de alegria.

Recordo também as suas conquistas ao serviço do HC Turquel. Vivem na minha memória, entre muitos outros, momentos como aquela meia-final da Taça de Portugal ganha ao FC Porto nas penalidades, ou aquele mítico jogo com o Viareggio, ou o , o  e o 4º lugar no campeonato da 1ª divisão, os melhores de sempre da Aldeia!

Obra dele. Conquistas com a sua assinatura.

Mas as memórias mais presentes são outras, são as do homem.

São as memórias dos jogos de ping-pong ao sábado de manhã durante a concentração ou durante a semana antes dos treinos - nunca joguei tanto ping-pong na vida! Ou as do porta-chaves com uma bola de snooker que usava para dar "carolos" na testa dos miúdos enquanto brincava com eles e trocava dois dedos de conversa. 

É a memória do homem, aquele que apareceu no hospital para apoiar uma das minhas pessoas, só porque é isso que os amigos fazem!

Foi o melhor de sempre em rinque, foi um dos melhores no banco a orientar quem estava em rinque, mas para mim foi, sobretudo, alguém que me marcou pela paciência, pela brincadeira e pelos gestos.

Alguém que recordo sempre com um sorriso e ao som dos aplausos intermináveis que o acompanharam no último momento!


Faria hoje 73 anos. 
Parabéns "Livras"!

"Ninguém gosta de hóquei em patins" dizem eles,
"Gosto eu", respondo com o orgulho de quem faz parte da modalidade.

[Texto originalmente publicado aqui, em 2013]

E no fim, ganham os melhores

E no fim, ganham os melhores

Regaleira | Um lugar de mil estórias

Regaleira | Um lugar de mil estórias