bicicletas I

bicicletas I

porque a verdadeira rainha de amsterdão é a bicicleta, vale tudo para a parar e estacionar. seja à porta do vizinho

[13.041]_018
[13.041]_018

numa ponte

[13.041]_072
[13.041]_072

à "porta" do barco

[13.041]_085
[13.041]_085

em cima de outra

[13.041]_118
[13.041]_118

à porta do museu

[13.041]_142
[13.041]_142

ou quase dentro do lago

[13.041]_150
[13.041]_150

a bicicleta pára onde quem a monta quer. e ponto.

mas com tantas bicicletas, e por vezes mais chatas do que os mosquitos daqui onde me encontro (angola para quem não sabe), também há quem não as queira. e ponto.

[13.041]_020
[13.041]_020
uma cidade inteira, que nem a torre de pisa

uma cidade inteira, que nem a torre de pisa

o balcão do açúcar

o balcão do açúcar